Pular para o conteúdo principal

GREVE - uma reflexão

 foto retirada do blog do prof. Alessandro:
http://tudoehistoriasjc.blogspot.com/2010/03/galera-do-meirelles-esclarecimentos.html


Infelizmente estamos tão massacrados por falta de salários condizentes com nossa missão/profissão, que nem forças pra fazermos uma greve decente temos!

Como parar e ter descontado o salário de um mês ou mesmo meio  se não temos de onde tirar o dinheiro para pagar as miseras contas que temos: comida, carro, aluguel, luz e água, transporte?
Alguns  alunos nos veem de carro e dizem: "olha  o carro da professora, reclamam do salário mas vem de de carro", mas mal sabem o quanto pagamos de prestação pra ter um meio de correr de uma escola pra outra em tempo!

Quem de nós pode ficar parado todo este tempo se já estamos no limite de cheque especial, com contas de cartão de crédito (usados para apenas comprar comida e gasolina, na maior parte) e sem crédito pra fazer novo empréstimo no nosso banco?

Meu caso por exemplo, para saldar contas de cheque especial e a defasagem salarial, que desde 2008 foi dada de presente com a retirada do ALE de minha escola e da maioria das escolas de SÃO PAULO - baixando nosso salario em 25% e nao repondo a inflação, o acumulo de dividas e as prestaçoes de emprestimos consomem praticamente todo o salário.

Pergunto é isso que merecem os educadores de nossa população infantil e adolescente?
Que nao tenham condiçoes de compra roupas e sapatos pra trabalhar decentemente vestidos?
Que nao tenham dinheiro pra investir em livros ou outras fontes de cultura - cinema, teatro, musica?
Que nao tenham dignidade e sejam vistos como coitados, pois são professores?
Que nao possam reclamar de seus direitos pois nao afetam a sociedade, ao contrário de greves de lixeiros, policiais, area de direito e saude?
Ou seja, se a populaçao ficar sem estudo, tanto faz!

A maioria de meus colegas que não  pararam nesta greve não estão apenas acomodados ou indiferentes, estao intimidados e endividados!
Basta!

Comentários

AvoGi disse…
olá fLOR . ´REALMENTE É O SEU NOME? A minha neta de 4 anos tb se chama Flor. Adoro-a e por isso vim cá "deitar o olho". gostei do que li. Penso que aí no Brasil como em Portugal a hora é de luta pelo estatuto.

Postagens mais visitadas deste blog

BONECO ECOLOGICO

PARA montar um boneco ecológico voce vai precisar:
de uma meia fina, com pé
terra
alpiste
papel para fazer os olhos, narizinho e boca, ou olhos de plástico comprados na papelaria
uma garrafa pet


Corte a garrafa pet para fazer o suporte
Pegue a meia fina e corte mais ou  menos 15 cm
Coloque alpiste no fundo da meia, mais ou menos uma tampinha de garrafa pet
Encha com a terra.
Amarre e corte a meia
Cole os olhos e faça a carinha do boneco  a gosto
Molhe  o fundo da meia
Vire e coloque na garrafa pet cortada
Regue sempre que estiver seco, dia sim dia não, normalmente
Espere o alpiste "cabelinhho " crescer e pronto!!!
É uma ótima atividade para fazer com as crianças na escola ou em casa, e acompanhar a germinação das sementes de forma criativa e lúdica, saindo um pouco do feijão no algodão.




OS MAIAS

De Eça de Queirós

Lido em mês de férias na praia, livro denso, com crítica a vida na sociedade de Lisboa em 1880, a Igreja Católica .
Trata da burguesia de Lisboa, dos costumes dos jovens ricos que nada faziam além de divertir-se e falar da vida alheia, comer e beber na casa de amigos, frequentar saraus e casas de jogos, vez por outra ter um romance extra conjugal.

Trecho: Carlos realmente não tinha tempo de se occupar do laboratorio; e deixaria a Deus mais algumas semanas o privilegio exclusivo de saber o segredo das cousas - como elle dizia rindo ao avô. Logo pela manhã cedo ía fazer as suas duas horas d'armas com o velho Randon; depois via alguns doentes no bairro onde se espalhara, com um brilho de legenda, a cura da Marcellina - e as garrafas de Bordeus que lhe mandara Affonso. Começava a ser conhecido como medico. Tinha visitas no consultorio - ordinariamente bachareis, seus contemporaneos, que sabendo-o rico o consideravam gratuito, e lá entravam, murchos e com má car…

Visita da Missão Libertar na escola

Palestra e música




O Rodrigo falou com nossos alunos sobre a amizade e sobre o respeito. Sobre como devemos ser gratos a Deus por nossa vida. Brincando, vai chamando a atenção dos alunos.